25 outubro 2012

Fica a dica: filme "Flores do Oriente"


Na última terça-feira assisti um filme que me tocou profundamente: Flores do Oriente (The Flowers of War). Posso dizer com conhecimento de causa - já que gosto e já assisti vários filmes e trilogias chinesas/japonesas - que este se não é o melhor, é um dos melhores filmes chineses feitos nos últimos tempos. Vou ser sincera, tem que ter estômago para ver, porque o filme é brutal, triste, mas também comovente. 

O filme mostra uma história real, já que a invasão do Japão ao país chinês foi uma das mais guerras mais brutais que se tem conhecimento. Não vou contar a história para não tirar o prazer de quem se interessar em assistir o filme, mas resumidamente a narrativa é sobre a cidade de Nanquim, que no auge do ataque em 1937, fez com que um grupo inimaginável de refugiados se reunisse em uma igreja: meninas de um convento em estado de choque, sedutoras e provocantes cortesãs e um renegado americano que se passa por padre para salvar a própria pele. 


O padre, por sinal, 'cai de paraquedas' na guerra, uma vez que ele ela apenas um agente funerário, convocado para se apresentar à Igreja Católica, para enterrar o padre da mesma.  Chegando lá ele se depara com uma realidade na qual não consegue ser indiferente: crianças assustadas e prostitutas tentando salvar a própria pele. Juntos, eles vão lutar não apenas para sobreviver, mas também para fazer o que parece ser impossível nestas circunstâncias - compreender e confiar um no outro.


O cineasta chinês Zhang Yimou (diretor dos filmes Clã das adagas voadoras e Herói, que assisti também e recomendo) contou a tragédia com uma sensibilidade artística tocante. Embora tenha uma certa beleza, principalmente das cortesãs é bom deixar claro que não se trata de uma simples ficção, mas de uma guerra que ocorreu por puro jogo de interesse político... por causa da ignorância humana. Super recomendo!


Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PENSAMENTO SOLTO